Dizia Pitágoras que para termos grandes ideias precisamos nos rodear de imagens Belas. Esta ideia apresentada pelo filósofo e matemático grego seria uma forma de combate ao que é mórbido. Você já ouviu falar nessa palavra? Segundo o dicionário online de língua portuguesa “Dicio”, a palavra mórbido quer dizer algo relativo a doenças ou o que provoca doenças. Também faz referência a transtornos psíquicos ou o que contém certa anormalidade ou ainda a algo que não possui energia, não possui vida. 

Refletindo sobre isso, você já parou para pensar quantas imagens ou ideias mórbidas circulam nossa mente em um único dia? Seja nas redes sociais, nos grupos de whatsapp ou em algumas conversas, independente dos cenários, estamos sujeitos a alimentar nossa mente com pensamentos e assuntos que não nos acrescentam positivamente em nada. Para os que acreditam em energia, essas imagens impactantes nos sugam energia, uma vez que nos lançam em estados emocionais negativos, além de fazerem com que desperdicemos tempo. 

Sendo assim, convidamos você a realizar uma alquimia na sua vida. Mesmo parecendo um pequeno passo, que tal começarmos com um pequeno exercício prático? Coloque para tocar a música Missa Brevis. Perceba o efeito que ela provoca em seu interior e aprecie a Beleza dessa música. Concentre-se na música e note para onde ela é capaz de levar sua mente e seus sentimentos. 

Essa música é capaz de gerar, dentro de nós, um senso de Beleza. Esse é, por fim, o Poder da Arte: nos tirar de um estado psicológico comum e corriqueiro para nos levar a outra possibilidade, algo melhor e que sempre esteve dentro de nós, mas que nem sempre acessamos. Através deste pequeno exercício, portanto, constatamos que não precisamos estar reféns da morbidez, uma vez que existe a possibilidade de sairmos de um estado em que já estamos e subir de patamar.

Fazendo uma comparação, é como a atmosfera: quando um avião sobe ele chega a um ar mais sutil, mais limpo. Para alcançar esse estado, porém, a aeronave atravessa as grandes nuvens e, caso fosse possível, se pudesse subir ainda mais estaria em camadas ainda mais sutis, com uma visão mais ampla. O mesmo ocorre em nosso interior: podemos sair de uma atmosfera comum e muitas vezes mórbida, para uma atmosfera onde habitam as grandes ideias e sentimentos. 

Agora vamos exercitar ainda mais? 

Reflitamos juntos: quando você inicia o seu dia, em que você pensa? Quais são as primeiras coisas que você faz? Você gera um estado de Plenitude? De Gratidão por estar vivo? De olhar para a vida sob uma ótica Bela e Otimista? Independente do cenário em que nos encontramos, podemos concordar que há muitos motivos para sermos gratos. 

Muitas vezes iniciamos o nosso dia, como se diz no nordeste, “aperreados”. Corridos, acelerados, atrasados e desordenados. E qual o resultado disso? É provável que essa tônica se arraste por toda nossa jornada diária, e chegamos ao fim do dia muito parecidos, infelizmente a como iniciamos. Se somarmos dia após dia esse modo de vida acelerado e sem tempo teremos, no fim, um ano bem agitado. Seguindo a mesma lógica, se somarmos ano após ano, podemos correr o risco de ter uma vida que caminha numa direção que não é a que sonhamos, mas na direção em que “fomos levando a vida”.

Mais uma vez será necessário realizarmos uma alquimia, ou seja, sair de um patamar e ir para outro. Desse modo, conseguiremos fazer com que a nossa vida se direcione para o máximo potencial que ela pode ter. Para ajudar as pessoas a alcançarem essa transformação existe um escritor bem interessante chamado Hal Elrod, que escreveu um livro chamado “O Milagre da Manhã”. Ele nos ensina que as pessoas realizam uma verdadeira alquimia em suas vidas começando por transformarem o impulso agitado ou preguiçoso com que todos iniciamos as nossas manhãs. 

Ele, que conseguiu sair de um estágio depressivo para produtivo e ativo, conta que tudo começa com as nossas manhãs. Antes, porém, é preciso tirar a nossa mente do patamar de onde ela já está para outro, mais amplo e melhor. O que ele quer dizer com isso? Em resumo, ele fala da construção de hábitos positivos no início do nosso dia, pois a forma como o iniciamos será a tônica do resto dele e não há outra forma de termos melhores frutos em nossa existência.

Ele propõe que todos os dias devemos fazer 6 práticas para começar bem as nossas manhãs, com apenas 30 minutos, todos os dias, para praticar os seguintes exercícios:

  1. Praticar o silêncio. Esse momento deve ser dedicado entre 5 e 10 minutos para um momento de silêncio, interno e externo. Uma pausa, um respiro. Seja através da meditação, da contemplação de uma bela paisagem, de uma oração, de uma reflexão ou de um momento de gratidão. Desde que consiga simplesmente vivenciar o momento presente, silenciar a mente das preocupações cotidianas e conectar-se com o mais profundo de si mesmo.
  1. Afirmações. Repetir uma afirmação positiva de algo que você busca construir, de forma que haja uma reconstrução do pensamento, para que ele seja direcionado para onde você quer chegar. Anotá-las e lê-las em voz alta. Por exemplo, frases que te inspiram, objetivos que você definiu ou compromissos que você fez consigo mesmo. 
  1. Visualizações. Aqui é um pequeno exercício de imaginação, de passar na mente algo que queremos vivenciar para que possamos gerar motivação para trabalhar em busca disso. Por exemplo: o autor do livro se imaginou escrevendo-o e também imaginou quantas pessoas ele poderia ajudar e proporcionar uma transformação em suas vidas e isso o motivou a não desistir. Quando imaginamos, focamos no que queremos buscar e não onde estamos. “Não se volta atrás quando a meta são as estrelas”, já dizia o Pequeno Príncipe, ou seja, isso é olhar para a sua estrela e buscá-la dia a dia. 
  1. Exercício físico. Realize alguma atividade física, os benefícios vão desde melhorar a saúde até aumentar a disposição, autoconfiança, clareza mental e, talvez o mais importante, é uma forma de disciplinar o corpo. Quantas coisas não abandonamos por preguiça? Fazer exercício físico é um caminho eficaz para dominarmos o corpo. Sem disciplina não há vida, não há sonhos que possam ser construídos. Nessa parte o autor recomenda por volta de 10 a 20 minutos diariamente. 
  2. Leitura, para seguir se desenvolvendo e aprendendo. Será que vamos progredir rapidamente se não aproveitarmos a experiência de todos aqueles que foram mais longe do que nós? Então reflita: o que você busca? Em quais ideias quer se inspirar? O que precisa aprender? Defina um livro e leia-o. O autor recomenda de 15 a 20 minutos por dia. 
  1. Escrita. Todos os dias reserve alguns minutos para escrever em seu diário, anotar ideias, aprendizados, experiências. Anote os erros cometidos e o que poderá fazer para consertá-los. Anote suas pequenas vitórias se lhe falta autoconfiança. Comprometa-se consigo mesmo em um próximo passo e você verá que esse compromisso virá à tona durante o seu dia para te inspirar a ser melhor do que antes.

Por fim, conferidos alguns passos apresentados para a construção da alquimia interior, agora é a vez de comprová-los através da experiência prática. Talvez seja utópico aplicá-los todos de uma vez, mas experimente algum. A cada pequeno passo que damos em direção a transformação interior, abrimos portas para apreciar novas possibilidades e atmosferas, quem sabe não colaborando apenas para que a nossa existência se direcione para o caminho que decidimos construir, mas que também colabore para que os demais se inspirem e busquem essa mesma alquimia. 

Pesquise sem sair da publicação

Artigos mês
fevereiro 2024
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829  
Siga o nosso instagram

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de privacidade . Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.

Escute músicas enquanto navega em nosso site.