Acredita-se desde os tempos mais remotos que o Universo é mental. As tradições falam que tudo o que existe e que entendemos como matéria ou espírito faz parte de uma Inteligência Divina que perpassa e une todas as coisas. Assim, como também fazemos parte dessa Criação Cósmica, nos situamos, nos movimentamos e construímos as nossas vidas a partir dessa Lei Universal. Para os gregos, por exemplo, o conceito de indivíduo se estabelece através de uma estrita coerência entre o agir, o sentir e o pensar. Daí surge a nossa Harmonia Interior, ou a nossa total fragmentação e por consequência a desarmonia.

Saber pensar é saber imaginar e criar o nosso futuro utilizando minuciosamente os elementos mais sutis que carregamos dentro da gente. A mente é um dos nossos espaços mais íntimos, pois é dentro dela que podemos construir, idealizar, combinar e colorir todos os nossos pensamentos. Mas, para isso, há que aprender a pensar e a manejar essa matéria tão sutil que são as ideias e as imagens que carregamos conosco.

Entretanto, sabemos que temos muitas dificuldades em trabalhar esses elementos subjetivos e quase sempre nos perdemos dentro dos emaranhados das nossas emoções, fantasias e falsas concepções da realidade. Para os estudiosos do comportamento humano essa dispersão interna se deve em parte a nossa falta de autoconhecimento e de domínio próprio, tendo em vista que conhecemos muito pouco sobre quais são as Leis que influenciam e condicionam o nosso padrão de pensar e sentir. Esse desconhecimento acaba nos arrastando à uma ausência de domínio próprio e a poucas respostas efetivas às circunstâncias e adversidades que nos sobrevêm.

Infelizmente crescemos sem aprender a educar a nossa psique. Dificilmente lidar com os sentimentos e pensamentos faz parte de nossa educação doméstica, muito menos de nosso currículo escolar e profissional e, como consequência, hora ou outra somos devastados pelas crises psíquicas e pelos estados de angústias. E, não há nada pior do que lidar com uma mente sequelada, marcada por dolorosas experiências das sucessivas tentativas de erros e acertos. Existe uma máxima que diz que ninguém pode ser mais nosso inimigo, do que os nossos próprios pensamentos. Assim, diante de uma mente desorganizada e caótica só a educação pode formar e harmonizar os pensamentos e os sentimentos. Por sorte, temos o respaldo de antigas tradições que nos auxiliam nesse desafio! Veremos agora alguns exemplos. 

Para o budismo, a mente deveria ser um espaço Sagrado e nada poderia entrar ou crescer nela sem a nossa permissão, pois é nesse espaço que mora a possibilidade da paz e da tranquilidade da Alma. Segundo algumas outras correntes orientais, todo indivíduo é composto por dois tipos de mentes: uma mente prática, com habilidades voltadas para as necessidades materiais e de sobrevivência, e outra mente voltada para as questões mais altruístas, que ajudam os indivíduos no desenvolvimento de sua vida Espiritual e social. Vale ressaltar que, para os orientais, a mente altruísta deveria governar a mente prática, pois é nela onde reside todo o nosso potencial para o desenvolvimento das Virtudes como a Bondade, a Generosidade, a Prudência, a Harmonia, a Justiça, etc. E, quando essa parte transcendental não governa e não se desenvolve, quem acaba nos governando são os nossos mais avassaladores instintos e desejos, frutos de uma mente egoísta e inferior.

Para os gregos, saber pensar era vital e por isso os mesmos atribuíam valor inestimável ao uso da razão. Assim, para a cultura grega, não bastava nascer para existir como Ser Humano, era preciso provar sê-lo através do bom uso da razão. De maneira geral, acreditam que a razão é a possibilidade de organizar os pensamentos e as emoções de acordo com uma Virtude e, por conseguinte, tomar todas as nossas decisões baseadas nesse valor. Assim, o pensar, o sentir e o agir coerente e em consonância com a Virtude pode gerar uma Unidade interna dentro do indivíduo, possibilitando uma energia harmônica para a mente e para o corpo. Por fim, de acordo com o estoicismo, para encontrar a sua função no mundo, o homem precisa compreender que dentro da composição do Universo cada ser vivo necessita viver segundo a sua natureza, e a natureza humana é garantida pelo atributo do uso da razão.

O que se pode concluir é que a mente é uma instância interna importantíssima para o desenvolvimento de todo o indivíduo. A partir dela nós não só nos desenvolvemos, mas garantimos os passos a seguir. Mas, assim como o corpo físico, a mente precisa se alimentar, se limpar e se exercitar para não padecer de enfermidades. Concordemos ou não, tudo o que somos ou conquistamos hoje foi fruto de pensamentos e ideias passados. Somos criadores dos nossos próprios futuros e experiências, por isso, se tivermos uma mente saudável e aprendermos a pensar e correlacionar as nossas ideias, certamente, obteremos mais sucessos nas nossas realizações. Precisamos criar bons hábitos de leituras, conversas e pensamentos que nos tragam profundidade, nos ajudando a construir novas percepções acerca de nós e do mundo que nos rodeia, necessitamos ser mais objetivos e pouco suscetíveis às circunstâncias para conhecer, ordenar e dominar os nossos pensamentos e sentimentos, pois só assim poderemos ter chance de sermos autênticos criadores de nossa própria história. Mas, acima de qualquer coisa, o bom funcionamento mental depende do bom uso que se faz da razão em total harmonia com as Virtudes e as condutas morais adotadas pelo indivíduo. Reflitamos sobre isso!

Pesquise sem sair da publicação

Artigos mês
fevereiro 2024
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829  
Siga o nosso instagram

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de privacidade . Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.

Escute músicas enquanto navega em nosso site.