Nova logo Portal Feedobem

A Filosofia de Mário Sérgio Cortella

Tempo de leitura: aproximadamente 8 minutos

Você já ouviu falar de Mário Sérgio Cortella? Atualmente ele é um dos pensadores mais conhecidos e conceituados no Brasil, tendo palestras no Youtube, Instagram e outras redes sociais. Em um mundo cada vez mais voltado ao virtual, as palavras e reflexões de Cortella têm alcançado milhões de brasileiros, um feito inédito para o professor que, mesmo com décadas em sala de aula, jamais poderia influenciar tantas pessoas se não fosse por meio da internet. Visto sua relevância dentro do mundo atual, principalmente no Brasil, vamos passar a conhecer um pouco de sua trajetória e ideias no texto de hoje.

Mário Sérgio Cortella foi bastante influenciado, ao longo de sua formação em filosofia e em teologia, por filósofos como Sócrates, Descartes, Nietzsche e pelo seu orientador de mestrado, Paulo Freire. De formação bastante acadêmica, Cortella trata de temas como felicidade, trabalho, ética e morte, de maneira mais simples e próxima da população em geral, o que facilita uma reflexão de ideias tão necessárias para a vida de cada um de nós. Seu grande mérito está na capacidade de transmitir ideias, um fato inegável para qualquer um que já tenha escutado suas aulas. É evidente que os anos em sala de aula o ajudaram na sua didática, e que o esforço em buscar o refinamento das ideias e sua maneira de expressá-las ajudaram nesse processo. Além disso, é possível reconhecer um talento para a oratória que raramente observamos nos dias de hoje. Todas essas habilidades e esforços foram canalizadas para apresentar aos seus alunos e espectadores as mais brilhantes ideias que a filosofia ocidental desenvolveu ao longo dos séculos, junto com sua forma particular de compreender e expressar tais conceitos.

A história de Mário Sérgio Cortella começa em 1954, em Londrina, no estado do Paraná. Após uma infância comum no Sul do país, Cortella dedicou alguns anos de sua juventude no emprego de uma vida monástica. Entre 1973 e 1975 o jovem experimentou a via sacerdotal, mas não quis seguir por esse caminho. Os dois anos foram suficientes para entender que suas questões e propósito talvez estivessem em outra senda, e por isso seguiu o caminho acadêmico, dedicando-se aos estudos. O fato de Cortella ter ingressado em uma ordem religiosa, mais precisamente a dos Carmelitas, mostra a sua inclinação já nos primeiros anos de sua vida pela busca de sentido e de respostas para a existência. Como sabemos, o ser humano se inclina naturalmente para o saber, seja por vias científicas, políticas, artísticas ou religiosas. Todos nós queremos encontrar respostas e depositamos nossa energia naquilo em que acreditamos ser o caminho que nos levará até essas certezas. Mesmo que Cortella não tenha seguido mais a fundo nessa via, o fato de tentá-la e logo em seguida ingressar em uma universidade, ou seja, buscar outro caminho, mostra sua persistência e desejo em querer conhecer esses mistérios.

Depois de sua vida monástica, como já citamos, Cortella se dedicou à universidade. Ele tem uma ampla formação, passando desde a filosofia até a teologia, mas o seu grande foco de estudos foi a educação. Não por acaso, seu orientador foi um dos maiores – senão o maior – educadores brasileiros, Paulo Freire. Com esse mestre em sua formação, Cortella passou mais de 30 anos em sala de aula, desde o ensino público e básico até as cátedras de universidades. Seu foco de ensino foi principalmente no departamento de teologia e ciência das religiões, além da já citada área da educação. Desse modo, é inegável o valor da academia e do estudo científico na formação intelectual de Mário Sérgio Cortella, sendo estes os pilares que sustentam sua maneira de compreender o mundo e investigar os mistérios da natureza. 

Precisamos entender o valor dessas décadas de teoria e prática na vida de Cortella e como essa experiência o torna uma pessoa de valor. Seus exemplos, sua maneira de explicar e o coração que coloca em cada uma de suas frases não são apenas técnicas, mas o resultado de uma vida inteira dedicada à busca pelo conhecimento e ao compartilhamento dessa sabedoria para aqueles que tanto precisam dela.

Essa vocação para se doar o levou à vida política por um curto período de tempo. Nos anos 1990, mais precisamente entre 1991 e 1992, o professor Cortella se tornou secretário de educação da cidade de São Paulo, a maior cidade do Brasil. O desafio, sem dúvida, era imenso; e, para o professor acostumado com salas de aula, seria uma novidade atuar nos bastidores. Apesar da pouca experiência no campo político, ele cumpriu com seu dever e conseguiu cumprir a agenda que estava ao seu alcance. Sabemos que os problemas políticos não podem ser resolvidos individualmente e por isso não cabe a nós dedicar tempo a esse tema. Ainda assim, é válido notar que Cortella, assim como tantos que buscam ajudar à sociedade a se desenvolver, não desistiu de tentar melhorar a educação. Isso ele fez de forma direta, como professor  e também atuando como secretário. 

Atualmente seu front de batalha pela educação está na publicação de livros, palestras, entrevistas e aulas. O reconhecimento desse educador para a construção do conhecimento é merecido, pois Cortella fez da sua vida o ato de ensinar, e isso, como sabemos, pode ser traduzido como um verdadeiro gesto de amor. Abaixo destacamos algumas de suas frases e reflexões para que possamos sair ainda mais inspirados pelo seu exemplo.  

Algumas das frases que encontramos na sua obra são:

“Ser capaz de mudar de opinião não é uma atitude que aprisiona; ao contrário, é algo que liberta.”

Nessa frase, o pensador trata de um tema que nossa sociedade valoriza bastante: a busca pela liberdade. Ao mesmo tempo, mostra a nós todo o nosso apego a opiniões e o quanto elas nos aprisionam.

“Nós vivemos vários lutos na vida, que não são apenas de pessoas.”

Aqui, Mário Sérgio Cortella nos ensina que precisamos aprender a lidar com a morte em vários aspectos. Expectativas também morrem, relacionamentos, fases da vida, bens materiais. Essas coisas também tem seu fim, e superá-las também é um processo de luto.

“Viver em paz é saber que está fazendo o que precisa fazer.”

Fazer aquilo que cabe a nós como seres humanos e dormir o sono dos justos são atos que poderíamos chamar de vida em paz.

“Nós somos o único animal que, além de agir, é capaz de perguntar se o que faz é correto ou incorreto. E isso é ética.”

A ética como uma experiência propriamente humana, no sentido de saber escolher entre o melhor de nós mesmos, o mais justo, mais bondoso e o mais harmônico. Isso é o que nos diferencia dos animais.

“A generosidade é atributo de uma grande alma.”

Nessa frase, Cortella traz a ideia de alma e a atrela a virtude da generosidade como um contato com este elemento mais transcendental em todos nós. Aquele que doa de si mesmo, como ato de generosidade, é possuidor de muita riqueza interna.

“Só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas.”

Ou seja, o filósofo é aquele que busca a sabedoria. Como bom discípulo de Sócrates, reconhecer a sua própria ignorância já é um grau de sabedoria, e isso é fundamentalmente necessário para viabilizar a busca por respostas.

Nos seus livros e palestras, fica claro o compromisso do filósofo com os temas relacionados a educação, a felicidade, ao trabalho e a religião, tendo muitos trabalhos com parcerias com outros grandes pensadores atuais, como Karnal, Pondé, Clóvis de Barros Filho, Leonardo Boff e até mesmo com a monja budista zen Coen.

Abaixo, uma lista de seus livros publicados:

  • Felicidade: Modos de usar, debates com Luiz Felipe Pondé e Leandro Karnal – 2019, Editora Planeta do Brasil;
  • Nós e a Escola: Agonias e Alegrias – 2018;
  • A Sorte Segue a Coragem! Oportunidades, competências e tempos de vida – 2018;
  • Por que Fazemos o que Fazemos? – Aflições vitais sobre trabalho, carreira e realização – 2016;
  • Felicidades Foi-se Embora?, com Leonardo Boff e Frei Betto – 2016;
  • A Era da Curadoria – o Que Importa É Saber o Que Importa!, com Gilberto Dimenstein – 2015;
  • Ética e Vergonha na Cara!, com Clóvis de Barros Filho – 2014;
  • Pensar Bem Nos Faz Bem! – quatro volumes;
  • Não se desespere! Provocações filosóficas – 2013;
  • A Escola e o Conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos;
  • Nos Labirintos da Moral, com Yves de La Taille;
  • Não Espere Pelo Epitáfio: Provocações Filosóficas;
  • Não Nascemos Prontos!;
  • Viver em Paz para Morrer em Paz: Paixão, Sentido e Felicidade;
  • Sobre a Esperança: Diálogo, com Frei Betto;
  • O que é a Pergunta?, Com Silmara Casadei;
  • Política: Para Não Ser Idiota, com Renato Janine Ribeiro – 2010;
  • Vida e Carreira: um equilíbrio possível?, com Pedro Mandelli;
  • Educação e Esperança: sete reflexões breves para recusar o biocídio;
  • Qual é a tua Obra? Inquietações Propositivas sobre Gestão, Liderança e Ética – 2009;
  • Vivemos Mais! Vivemos Bem? Por Uma Vida Plena;
  • Liderança em Foco;
  • Descartes, a paixão pela razão, 1ª. ed. São Paulo: FTD, 1988;
  • Ainda dá!: A força da persistência, Editora planeta, 2020;
  • A Diversidade: Aprendendo a Ser Humano, Editora Littera – São Paulo/SP – 2020.

A produção filosófica de Cortella não se restringe somente aos livros e palestras, mas abrange também diversos vídeos no seu próprio canal no Youtube, e em programas na televisão aberta e em outras mídias por meio de parcerias.

Segue a lista de algumas de suas palestras mais assistidas:

  • Humildade pedagógica;
  • Excelência é horizonte;
  • Faça o teu melhor;
  • Oportunidades nas mudanças.

No momento atual – em que a depressão, a ansiedade e o estresse são considerados o mal do século devido ao grande número de casos –, a falta de sentido de vida e o vazio existencial nos fazem refletir o quanto estamos realmente precisando de respostas mais profundas para a vida. Diante de todos esses problemas, surgem novamente como destaques na sociedade, a figura do pensador, do filósofo, ou seja, surge a necessidade do sábio. Essas necessidades nunca deixaram de existir, mas, assim como a luz em momentos de escuridão, neste período em que vivemos, de tanta falta de respostas, a necessidade de sabedoria se torna mais evidente.

É interessante percebermos que a nossa carência por respostas mais profundas nos faz buscar refúgio em pessoas como Mário Sérgio Cortella, e alguns outros nomes em destaque atualmente que nos fazem refletir e encontrar caminhos mais significativos do que aqueles que antes estávamos trilhando. Pensadores como Cortella nos fazem, ao menos, buscar sermos seres humanos melhores e, desta forma, contribuirmos para um mundo novo e melhor.

Compartilhe com quem você quer o bem

MENU

Siga nossas redes sociais

Ouças nossa playlist enquanto navega pelo site.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de privacidade . Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.