Nova logo Portal Feedobem

“The English Game”: o futebol como ferramenta de União

Você já escutou a frase “o futebol é muito mais que um esporte”? Mesmo para aqueles que não torcem para um time e não acompanham os jogos com regularidade, é possível notar como o futebol apaixona e arrasta milhões de torcedores mundo afora. Aqui no Brasil, particularmente, o esporte é de longe o mais importante para o país. Já fomos conhecidos como “o país do futebol”, além de sermos o único país que possui cinco títulos mundiais. Para além de um simples jogo, através do futebol, milhares de pessoas se realizam e mudam suas histórias de vida graças a entrega e paixão pelo esporte. Cotidianamente podemos conhecer exemplos disso, seja na vida de jogadores ou torcedores.

Apesar da sua popularidade, poucos conhecem a origem desse esporte e suas modificações ao longo do tempo. Não é de se estranhar, por exemplo, que a maior parte das pessoas acreditem que o futebol foi inventado no Brasil e que sempre foi um esporte popular quando, na verdade, este foi criado pela elite inglesa em seus campos privados e universidades. Por essas e demais questões hoje indicamos a série “English Game”, produzida e oferecida pela plataforma de streaming Netflix.

Lançada em 2020, “English Game” busca contar um pouco dos primórdios do futebol, quando ainda mostrava-se um esporte praticado por grupos restritos e, em geral, das camadas mais abastadas da sociedade inglesa. Criada por Julian Fellowes e estrelada por Edward Holcroft e Kevin Guthrie, a série expande os horizontes dos amantes do futebol e mostra que desde os seus primórdios não se tratava apenas de um jogo. Isso porque apesar de nascer como um esporte praticado pela elite, o futebol rapidamente caiu no gosto da classe operária de todo Reino Unido, mostrando as distintas realidades entre os times e seus praticantes. Enquanto os ricos banqueiros possuíam tempo e dinheiro disponível para investir em treinamento e compra de material, por exemplo, aos operários restava apenas a prática do esporte nos raros momentos livres após sua jornada de trabalho. Entretanto, a mágica do futebol transcende, como bem sabemos, as dificuldades enfrentadas por seus praticantes.

Visto isso, o esporte rapidamente avança e sai dos gramados das universidades e ganha espaço nos campos de terra batida em toda a Inglaterra. A série chama sempre atenção para o abismo social dos personagens, além da busca dos seus criadores em não permitir que este esporte se profissionalize, ou seja, tendo o objetivo que todos os atletas pratiquem o futebol sem receber nenhum salário. Naturalmente, tais medidas inviabilizam uma série de operários de jogar, uma vez que precisam dedicar seu tempo em seus trabalhos e não poderiam “apenas jogar”, como os jovens de classes mais abastadas. Apesar de alguns “furos” históricos, a série tem uma licença poética para tornar a narrativa fluida e atrativa para os leitores.

Entretanto, o que torna a história realmente cativante não são os conflitos sociais que são bem destacados na narrativa. Acima disso, é possível perceber um Espírito de União entre os jogadores, principalmente entre os dois personagens principais: Arthur Kinnaird e Fergus Suter. Ambos personagens de fato existiram, sendo ícones do futebol em suas primeiras décadas de vida, o que torna a narrativa da série ainda mais atrativa. Porém, apesar de suas habilidades, a vida dos dois jogadores são bem distintas: de um lado temos Arthur, um banqueiro bem sucedido que ama o futebol, dedicando sua vida a pratica do desporto; do outro, Fergus é um jovem escocês que destaca-se em sua terra natal e é contratado de forma ilegal para jogar por um time de operários da Inglaterra. 

É notável que o único local em que estes dois homens poderiam se encontrar seria dentro das quatro linhas do campo de futebol. Estes observam a vida de perspectivas diferentes e nada tem em comum a não ser a devoção pelo esporte, o que é suficiente para criar uma rivalidade saudável, ou seja, uma disputa em que tentam ser melhores e leais, dentro das regras do jogo. Partindo disso, a competição se torna um elemento que, quando bem canalizado, garante aos atletas a capacidade de superar a si mesmo e olhar para o seu adversário como inspiração e não como um inimigo a ser vencido. 

Além disso, o respeito adquirido pelos dois torna a série inspiradora por notarmos que Princípios e Ideais transcendem questões materiais. Ou seja, Virtudes como a Lealdade, a Justiça e o Respeito às Leis são pilares Morais que todos podem viver, independente de suas condições de vida. Arthur, por exemplo, mostra-se um verdadeiro cavalheiro em sua conduta ao diminuir as diferenças sociais que existem entre seus companheiros de time e os seus adversários, pois nota que, de fato, não há justiça na maneira em que se conduzia o esporte em sua época. De igual maneira, Fergus dedica-se a tornar o futebol um campo de disputa justa, em que não haja manipulação e favorecimento dentro das regras do jogo. O futebol, assim como qualquer outro esporte, está para além de condições sociais, étnicas ou qualquer outra característica que tenda a separar os Seres Humanos. O esporte, enquanto ideia de superação de si mesmo e busca de aprimoramento, é um direito de qualquer homem e mulher, pois representa o verdadeiro espírito de evolução que nos conduz.

Assim, em “English Game” podemos aprender sobre lições que vão além das críticas sociais presentes na série. Refletindo sobre nossa vida, será possível conduzirmos nossa existência de modo similar, buscando sempre a União e sermos Leais aos nossos Princípios, independente da situação?

Esse é um questionamento importante, mas que nem sempre o fazemos. Em geral, é comum nos relacionarmos com o mundo a partir de comparações, o que pode ocasionar separações em nossa vida cotidiana. Colocando em exemplos, podemos acreditar que ter dinheiro é a fórmula para uma vida feliz e como buscamos sempre a felicidade passamos uma vida juntando e acumulando riquezas. Porém, qual o “preço” que pagamos por isso? Por vezes a busca por quantias cada vez maiores de recursos pode nos levar a atitudes que não são justas, muito menos leais para com outras pessoas. Nesses casos, o que escolher? Os nossos Princípios ou a Possibilidade de ficarmos ricos?

Nesse caso é provável que a maioria de nós opte por seguir os Princípios, porém, na vida existem situações em que essa escolha não é tão simples. Portanto, para seguirmos decidindo cotidianamente fazer o que é correto, precisamos viver nossos Princípios todos os dias, relembrando-os e realizando ações conduzidas por eles. Na série, em diversos momentos Arthur precisa escolher entre agradar os seus amigos, companheiros que convive há décadas, ou fazer o que é justo em relação ao esporte. Assim, o banqueiro e futebolista mostra que respeitar os próprios Princípios é fundamental e nem sempre isso o tornará bem visto pelas pessoas que estão mais próximas. Portanto, antes de fazer o que os outros desejam, é importante sabermos que não devemos ferir quem somos somente pelo capricho dos demais.

Visto isso, devemos sempre nos mostrar vigilantes quanto às nossas atitudes frente aos demais. Nem sempre estamos sendo conduzidos por nossos verdadeiros Ideais, mas sim por vantagens e intenções momentâneas, fruto de um desejo ou instinto. Dentro dessa perspectiva, “English Game” nos mostra também como os companheiros de Arthur, que ajudaram a criar a primeira liga inglesa de futebol, são apegados ao jogo que inventaram ao ponto de não aceitarem mudar algumas de suas regras para benefício de todos. O medo de não “dominarem” o futebol a longo prazo, fizeram eles buscarem atitudes que dificultavam o acesso dos operários, além de inviabilizar sua representatividade na liga. Porém, todas essas ações nada mais são do que consequências do desejo de manter o jogo entre as camadas economicamente mais elevadas da sociedade, ou seja, uma ação que pretendia segregar os amantes do futebol.

Hoje, como bem sabemos, o futebol é praticado por todos. Os esforços de Arthur e Fegus, que agiram contra a maioria, foram fundamentais para isso. Se hoje podemos encontrar crianças jogando em campos de terra e em gramados sintéticos, é graças ao esforço de unir todas as pessoas em torno desse incrível e inspirador esporte. 

Por tudo isso, nós da Feedobem recomendamos a série “English Game” como uma inspiradora lição de União e Espírito Desportivo.

Compartilhe com quem você quer o bem

MENU

Siga nossas redes sociais

Ouças nossa playlist enquanto navega pelo site.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de privacidade . Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.