Tempo de leitura: aproximadamente < 1 minute
Assim Eu Vejo a Vida
Escrito por Cora Coralina

A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.

Cora Coralina, pseudônimo de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, foi uma poetisa e contista brasileira. Publicou seu primeiro livro “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais” em junho de 1965 quando já tinha 75 anos, e com isso se tornou uma das vozes femininas mais relevantes da Literatura nacional. Em novembro de 1970 tomou posse como “Membro Fundador” na quinta cadeira da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás (AFLAG). Em 1976 lançou seu segundo livro “Meu Livro de Cordel” e foi elogiada por grandes nomes como Carlos Drummond de Andrade.

Os seus textos (em livros, contos e principalmente poemas) falam sobre Sentimentos de forma peculiar e muito pessoal, que tocam profundamente os leitores sempre tão fiéis a ela.

O poema “Assim Eu Vejo a Vida”, inédito em livro, foi publicado pelo jornal “Folha de São Paulo” — caderno “Folha Ilustrada”, edição de 4/7/2001.

Fonte: “e-Biografia”.

Pesquise sem sair da publicação

Artigos recentes
Artigos mês
abril 2024
STQQSSD
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930 
Siga o nosso instagram

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, de acordo com a nossa Política de privacidade . Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.

Escute músicas enquanto navega em nosso site.